Governo vai andar dois dias pela indústria mais sexy da Europa

27/02/2019

O secretário de Estado da Economia vai dedicar os próximos dois dias à indústria portuguesa de calçado, tendo programado a visita, esta quinta-feira, a uma empresa de Guimarães e outra de Gaia, e a duas de Felgueiras no dia seguinte.

João Correia das Neves vai andar os próximos dois dias por quatro das 1.918 empresas de calçado existentes em Portugal, uma indústria que emprega mais de 47 mil pessoas, o que traduz um crescimento de 27,5% nesta década, e que exporta mais de 1,9 mil milhões de euros para 152 países nos cinco continentes, apresentando-se internacionalmente como "a indústria mais sexy da Europa".

O périplo do secretário de Estado da Economia arranca, esta quinta-feira, 28 de fevereiro, pela AMF, uma empresa especialista em calçado de segurança, segmento em que é líder na Europa.

"Fundada em 1999, a AMF reformulou todo o seu modelo de negócio. A aposta centrou-se no desenvolvimento de parcerias, na formação tecnológica e na aposta em novos produtos e métodos de produção", realça a associação do setor (APICCAPS), em comunicado.

Focou-se no calçado de segurança com a 2work4, marca própria que comercializa, estando atualmente presente em 20 mercados. A empresa de Guimarães emprega 134 pessoas e exporta 85% de uma faturação de 14,5 milhões de euros. 

Depois da AMF, João Correia das Neves tem marcada presença no "open day" da Procalçado, em Vila Nova de Gaia, promovida pelo IAPMEI e pela COTEC Portugal.

"Com mais de 100 milhões de pares de solas fabricadas, a Procalçado detém uma forte experiência de produção, um fator de sucesso sobretudo quando associado a um investimento constante no processo produtivo, tecnologia de ponta, diversidade de materiais, design e inovação", sublinha a APICCAPS.

Criada em 1973, a Procalçado "é hoje uma das empresas europeias líderes" na conceção, desenvolvimento e fabrico de componentes para calçado e calçado moldado.

O projeto começou com a For Ever, há 40 anos, produzindo solas para as maiores marcas europeias de calçado. "Ao longo dos últimos anos cresceu no sentido da criação de marcas de calçado injetado: Wock para o mercado profissional e, mais recentemente, a Lemon Jelly para o segmento moda", destaca a associação dos industriais de calçado.

A Procalçado tem 400 trabalhadores e fatura 25 milhões de euros.

Para esta sexta-feira, segundo dia da volta por empresas de calçado, o secretário de Estado da Economia vai visitar duas empresas de Felgueiras: a Atlanta, "uma das mais modernas empresas de componentes de calçado da Europa", e a Máximo Internacional, que detém a insígnia Nobrand, uma das marcas portuguesas de calçado com maior projeção internacional.

Criada em 1955, inicialmente com apenas duas máquinas e cinco trabalhadores, a Atlanta "destacou-se pela ousadia, originalidade e design", dispondo atualmente de instalações próprias com uma área coberta de cerca de oito mil metros quadrado e tem uma capacidade de produção de 20 mil pares de solas por dia.

Já a Máximo Internacional, que tem 108 funcionários diretos e aproximadamente 500 com relacionamento indireto, conta com mais de 30 anos de experiência no mercado e "tornou-se reconhecida pelo esforço em redefinir a tecnologia usada no setor do calçado".

Fonte: https://www.jornaldenegocios.pt

Plataforma

Newsletters

Facebook